1 ANO DE HOLANDA

Nesse ano, no dia 20 de julho, fez 1 ano que eu cheguei na Holanda. Antes da mudança, eu não fazia ideia do que esperar, a única coisa que tinha certeza era de que viveria essa experiência de morar fora do país da forma mais intensa possível.

Me despedi da família no Brasil e entrei no avião rumo à quase 11 horas de viagem. Pousei em Amsterdam em um dos dias mais quentes do ano. Verão holandês bombando e o sol se punha depois das 22h. O João me esperava no aeroporto com balões e a primeira coisa que fiz quando vi ele ali, sorrindo pra mim, foi sair correndo e abraçá-lo. Ficamos 43 dias separados e naquele momento finalmente a distância acabava (veja o vlog da chegada).

Nas primeiras semanas tudo era novidade – e continua sendo até hoje. Ficamos em Rotterdam, na casa dos nossos primos, até que gente achasse um lar para chamar de nosso. Foi aí que encontramos um apê perfeito num pedacinho de paraíso chamado Bloemendaal. Essa cidadezinha nos acolheu, nos presenteou com um parque ao lado de casa que ficava mais lindo a cada estação que chegava, a praia era perto também, 20 minutos de bicicleta e a gente estava lá. Muitos churrascos, a primeira visita da família, a vista da janela da sala. Aquele lugar foi especial demais.

Eu aprendi a ser dona de casa na Holanda: supermercado diferente, produtos de limpeza diferentes, comidas e temperos diferentes. Tudo fez parte da experiência. Aos poucos eu aprendi onde deveria comprar cada tipo de coisa: a carne é melhor e mais barata ali, os produtos de limpeza são mais em conta lá e assim fui conseguindo entender o processo. Eu não sabia o significado de cada palavra que a menina do caixa do supermercado me dizia, mas tinha noção do que ela queria dizer e respondia tudo em Holandês (e saia de lá me sentindo A holandesa hahaha).

Apesar da língua oficial da Holanda ser o Holandês, foi aqui que eu aprendi a falar inglês (e ainda estou aprendendo). Quando cheguei, sabia só o básico do básico – mesmo – e tinha muita vergonha de falar. Ficava nervosa e até chorava, porque simplesmente não conseguia me comunicar. Daí o João, meu marido, fez com que eu tivesse que me virar sozinha: liguei para o seguro saúde, prefeitura e tantos outros lugares. Falei com pessoas diferentes. Fui me soltando. Quando vi, já sabia me virar sozinha e meu inglês – longe de ser perfeito – era o suficiente pra eu saber onde ir e o que fazer. E agora tento aprender o Dutch: Ik ben Vanessa. Ik spreek een beetje Nederlands.

Faz quase 1 mês que nos mudamos para Amsterdam; agora o João está perto do trabalho e eu mais perto das amigas e do centro. E posso dizer? A vida aqui não é perfeita, mas é boa, muito boa. Aqui eu me sinto mais segura. O transporte funciona e a saúde – que não é pública, como muitos pensam – também. É fácil viver aqui, porque aqui eu tenho o que preciso, pago menos por isso e as coisas têm qualidade. Nesse 1 ano, conheci 9 países diferentes, coisa que não faria se estivesse no Brasil. Vi a neve – muita neve. Vi e senti o frio – e QUE frio. Faz muito frio nesse país, chove demais e o vento é intenso. Aprendi isso tomando alguns banhos de chuva – de uma tempestade que começou do nada – e das vezes em que a bicicleta não saia do lugar de tamanha a força da ventania.

E por falar em bicicleta, hoje não vivo mais sem a minha. Não sei mais ir na esquina sem bicicleta. Faço tudo com ela.

Quero ser sincera com esse relato, por isso vou dizer: não passamos nenhum perrengue aqui. Nos preparamos, nos organizamos, viemos de forma legal (o João tem cidadania italiana) e fizemos tudo do jeito certo. Isso facilita muito. Procuramos fazer o nosso melhor e corremos atrás para que as coisas acontecessem da melhor maneira possível. Seguimos as regras do país, não tentamos impor nossa cultura ou o “jeitinho brasileiro”. Não temos história triste para contar. Não sofremos preconceito. Eu sei que não é assim com todo mundo – e eu gostaria que fosse -, mas com a gente tem sido e por isso eu agradeço.

Agora aguenta que vem a parte triste.

A saudade dói. Ficar longe da família dói. A verdade é que a gente se acostuma, no dia a dia a dor ameniza e fica um pouco mais fácil. Mas daí chegam aqueles momentos especiais: nascimentos, aniversários, casamentos, natal.. E a gente não está lá. Eu vejo tudo acontecendo pela tela do celular. E isso dói lá na alma. Essa dor transborda pelos olhos em lágrimas, como está acontecendo agora que escrevo esse parágrafo. Gostaria que todos soubessem que sim, é maravilhoso morar fora, viajar e ter experiências diferentes, mas ficar longe das pessoas que a gente mais ama é uma dor que nunca passa, que fica ali, latejando, pulsando e te faz lembrar que nada é perfeito, porque eles não estão aqui. Você vai perder momentos. Você vai querer colo. Você vai querer comer aquela comida. Mas vai ter que esperar até a próxima visita da família ou a ida de férias ao Brasil. Essa é a verdade.

por sorte, temos família aqui também! nossos primos!

Por fim..

Bate-bola rápido das primeiras coisas que vem na cabeça quando falo em Holanda: bitterballen – pesquisa pra ver o que é -, tulipas, croquete, batata-frita, festa, liberdade, felicidade, respeito, granulado no pão, abacate é verdura, cenoura é salgadinho, sanduíche é almoço, faça tudo você mesmo, educação, falar na cara, heineken dá ressaca e não é cerveja, banheiro e toilete são coisas diferentes, stroopwafel, kings day melhor dia, genre ruiva, canais, água, moto na ciclovia, internet rápida, muito museu, primark, mais croquete, peixe cru, cachorro é permitido em lojas e restaurantes, as pessoas sabem aproveitar a vida, picnic, parques, árvores.

Viver aqui tem sido um aprendizado e tanto. Eu amadureci, João amadureceu e nós amadurecemos como casal também. Descobrir a Holanda tem sido uma aventura diária e que eu indico muito para quem pensa em morar fora do Brasil. É um país com regras rígidas, certa burocracia, mas que funciona e vai te trazer muita felicidade. Você vai encontrar histórias de pessoas que sofreram para chegar aqui ou para ficar aqui, mas o final dessas histórias, na maioria das vezes, é feliz.

Provavelmente não falei tudo o que queria. Acho que é impossível descrever o que tem sido a minha vida nesses primeiros 384 dias de Holanda, mas garanto que é a montanha-russa mais surreal que já andei.

10 Comments

  1. De Naomi
    08/08/2017 / 20:06

    Adorei o post Vanessa! Você escreve muito bem e foi um texto muito bacana de ler. Deu até vontade de se mudar para a Holanda agora rsrs. Não acompanho seu canal há muito tempo, e também não sou de comentar muito nas redes sociais… Mas dessa vez, venho aqui para te parabenizar pela sua dedicação com o seu trabalho, pela sua simpatia, seu caráter e te desejar muito, mas muito sucesso! Você merece! Parabéns pelo novo apartamento (que está ficando incrível)! Espero que seu canal cresça muito mais! Você tem um potencial incrível! Adoro os seus vídeos, sua edição, as fotos! Seu canal é diferente dos demais que circulam ultimamente pelo youtube – que acabam ficando sempre na mesmice, sem graça, fazendo de tudo para chamar views – e isso que eu acho que é o seu diferencial! Continue sempre assim! O seu trabalho é excelente! Suas dicas são ótimas!! E eu que não sou fã muito de vlogs, amo ver os seus! Aguardo todos ansiosamente rsrs. Acho até que são sempre curtinhos e que eu poderia assistir seus vídeos com 1h duração que não iria cansar hahaha. Desejo tudo de bom para você sempre! Desculpa pelo comentário grande rsrs. bjs

    • 09/08/2017 / 05:00

      Poxa, que comentário delicado e carinhoso. Obrigada pelas tuas palavras e reconhecimento do meu trabalho. Fico muito feliz, de verdade, pq tudo que faço é sincero e natural. Meus vídeos são sobre minha vida e eu tento trazer isso da forma mais leve possível. Nunca sei como agradecer por tanto hahaha Um beijo enorme e um dia eu faço vídeos de 1h ahahah

  2. 09/08/2017 / 10:54

    Parabéns,Vanessa !

    Também moro fora do país (Suécia) apesar da saudade q sinto,amo morar aqui e sou muito feliz…

    Sucesso sempre!

    ?

  3. Aline Xavier
    09/08/2017 / 11:21

    Parabéns Vanessinha, admiro quem tem coragem de dar um passo no desconhecido, que se dá o direito de ir atrás do que acredita. Felizes os que têm coragem! Na grande maioria das vezes não é nada fácil, mas com o tempo, as coisas se acalmam, se encaixam e todo sacrifício acaba valendo à pena!
    Amo seus vídeos, adoro sua simplicidade e posso dizer que hoje sou apaixonada pela Holanda por sua causa kkk… Um dia ainda ponho os pés nesta terra linda!
    Hoje sonho junto com meu marido de sair do Brasil e sua experiência me encoraja… Apesar que tenho uma história bem encorajadora na minha família. Minha mãe foi para Genebra em 93 sem saber a língua, sem conhecer ninguém, com a cara e a coragem. Vive lá até hoje. Muita coragem!!! Jamais iria para um país viver ilegalmente, mas a experiência dela me encoraja também. Por sinal passei minha lua de mel lá ano passado e visitei os mesmos lugares que você e o João, amei aquele vlog! Aquele lugar é fantástico!
    Eita textão… Perdão querida! É que você é de casa sabe kkkk…
    Tudo de bom pra vocês, que Deus abençoe seus planos, projetos e que vocês sejam sempre muito felizes!!!!!
    Um beijo da carioca Aline???????

  4. 09/08/2017 / 11:23

    Queria dizer que esse post é um de muitos, que eu olho e admiro muito! Pela tua simplicidade, teu carisma, e é tão lindo ver que tu és tão transparente também, pois quando está triste evita nos passar isso, mas mostra que temos dias assim também. Como tu mesmo mostrou nesse post que tem parte ruim da saudade da sua família. E eu gosto muito dos teus videos, te acompanho já faz um tempinho, quando vi que tu morava em Porto Alegre, nossa me identifiquei muito pq moro aqui, pois tu ia nos lugares que conhecia e achava isso um máximo hehe. Quando tu foi para Holanda, confesso me desanimei um pouco pensado que iria larga os videos no Youtube.. mas lá tu permaneceu e alias bem mais forte, com conteúdos diferentes. Hoje vejo esse videos pelas cidades e gosto muito cada dia me interesso, e tenho uma grande curiosidade de ir para Holanda nem se for para visitar. Me empolguei no texto, desculpa hahaha mas com carinho! Nunca deixe de fazer esse lindo trabalho <3

  5. Vanessa
    09/08/2017 / 11:42

    Awwwn, que relato emocionante, Van. <3
    Queria dar uma sugestão: que vocês falassem um pouco sobre como funciona a política na Holanda; e sobre os setores públicos e privados (a questão da saúde privada me chamou atenção) e opinião de vocês quanto a isso, realizando um paralelo com o nosso contexto brasileiro. Beijos!

  6. Larissa Cardoso
    09/08/2017 / 12:00

    Que coisa linda, que história de vida e crescimento em um ano!
    Como são as coisas né, tudo isso faz parte de evoluir, aprender coisas novas, não ter medo de mudar e se aventurar, procurar algo melhor, viver intensamente e se entregar.
    Certamente não é fácil, mas agora olhando para trás, como dá orgulho né? Às vezes temos medo das mudanças, mas como elas fazem bem depois que passamos por tudo e percebemos o quão forte nós fomos, não é mesmo?
    Sua história me dá muito ânimo sabe, um exemplo de não se acomodar, dar o seu melhor e ser resiliente, pois esse é o detalhe… ser resiliente… aprender a se adaptar às mudanças, lidar com os problemas e superar os obstáculos, resistir e persistir às situações adversas.
    Eu desejo tudo de maravilhoso pra vcs dois e pra família de vcs, não tem nada melhor do que viver ao lado de quem nos faz feliz, ter o nosso cantinho…
    Um grande beijo pra ti!
    o/ :D o/

  7. Gabriela
    09/08/2017 / 12:09

    Van que texto incrível! Vc o escreveu muito bem! Foi uma delícia ler sua história desse 1 ano de Holanda. Te acompanho desde quando vc tinha a Shop Bela em POA e acho que nunca perdi UM vídeo seu! Amo demais seus vlogs, sua rotina, agora ainda mais com a casa nova! Tu não tem noção de como eu ficava ansiosa pra ver teus vídeos de reforma todos os dias hahahah a gente que acompanha torce muito por vcs! To loca pra ver como a casa vai ficar prontinha! Fico muito feliz que vcs estejam gostando da nova casa! Beijos de SC!

  8. Graciele Araujo
    09/08/2017 / 13:46

    É tão louco parecer conhecer tanto alguém que você nunca se quer viu, comecei a assistir seus videos de maquiagens lá no seu quarto, na casa dos seus pais no RS, eu morava em Balneário Camboriu – SC sempre quis ir no encontrinho de férias que vc fazia, mas nunca rolou. Hoje moro em joinville – SC fazem 5 anos e sinto um pouco do que vc sente, por ter deixado tudo “meu” em outra cidade e olha quem é 1h daqui. Enfim só pra registrar que és especial mesmo, que faz td de seu jeitinho, já chorei vendo seus videos, já rí, já me inspirei e vou continuar aqui te acompanhando um bjo grande.

  9. Ana Cavalcante
    14/08/2017 / 16:57

    Parece que li uma história de uma amiga de infância, daquelas que tenho um carinho enorme e que sinto saudades por está longe ( mesmo que a distancia tenha sempre existido) eu que sempre fui apaixonada por Amsterdam, que sempre sonhei conhecer esse lugar lindo, me deparo com a melhor youtuber da internet viajando diretinho para lá, meu coração quase não aguenta ver todas esses vídeos com tantas coisas boas ( pessoas, lugares, rotinas, comidas e Vanessa, uma pequena tão simpática que se engrandece) é muito bom ver seu crescimento, sua realização que se torna a minha e a de tantas pessoas que tbm queriam conhecer e viver nesse lugar. Que tudo fique cada dia melhor, e vc possa gravar sempre que der, para que possamos compartilhar toda essa Alegria.

    já era a MELHOR YOUTUBER desde quando gravava tutoriais de make e tour pelo quarto. <3

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *